Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Infinitudes

Porque ser do contra, também ajuda na resolução dos problemas!

Infinitudes

Porque ser do contra, também ajuda na resolução dos problemas!

12.Ago.22

Pintado de cinza!

luisorriba
Parece que a noite se esqueceu de ir embora. Por entre nuvens carregadas o sol tenta brilhar, os poucos raios que trespassam o cinzento que pintam o céu não conseguem clarear o dia. Olho através da janela, depois de um acordar tardio, e bate uma saudade desmedida. São longos dias perdido no calendário da vida, muitas horas de pensamentos confusos e ideias sem fio. Nestes gritos interiores de revolta, por entre descontroláveis arritmias, perco-me pela paisagem até onde o céu (...)
10.Jan.20

Será? Não sei!

luisorriba
Cresci roendo por dentro, contigo ali mas ausente! Cresci com mágoa na água turbulenta, revoltado pela revolta que agora sinto. Sem te sentir por perto cresci! Cresci, mas nem sei se vivi, ou mesmo se vivi e não cresci. No refúgio do meu canto, onde caí, onde tudo ouvia mas não te via. Vezes sem conta adormeci a chamar por ti! Não, não sei se te vi ou mesmo se te ouvi. Será? Não sei! Não por não me lembrar mas apenas por não querer lá estar. Por não te querer ouvir ou até (...)
03.Jun.14

Saudade

luisorriba
Circula-me nas veias a saudade de quem já não existe mas que ainda aqui está. Alguém que me faz padecer para além da saudade. Saudade que por vezes impede-me e outras dá-me um sopro para avançar em busca do que me faz falta. Saudade que doí, saudade que destrói. Saudade que constrói  ideias de vida sem vida vivida. Faz mexer e remexer sentimentos de amor e de dor, sentimentos de júbilo e de mágoa. Tempos antigos mas não passados, tempos imortais que levam-me a investir (...)
30.Mai.14

Vergonha ou Desvergonha

luisorriba
Num canto sentados à mesa, estão 2 engravatados e um desengravatado, mas todos a mesma fisga. Em cima da mesa uns papéis, duas águas e uma garrafa de cerveja. À minha frente, na fila para comprar pão, um homem que, aparentando vir do trabalho vestido ainda com a roupa “limpa” pelo emprego que tem, esperava a sua vez para ser atendido. - Quantos pães? Pergunta a funcionária com ar superior! - Uma dúzia, responde num tom envergonhado! Atirando com o saco de papel para cima (...)
30.Mai.14

Verdade escondia

luisorriba
Estou farto de ver esta verdade da mentira tão escondida e com um rabão enorme de fora. Qual verdade ou sinceridade? Tendes sinceridade na vossa verdade ou verdade na vossa sinceridade? Quão cínico é o vosso olhar, nos momentos das vossas verdades, que de algum modo até me deixam perplexo com a sinceridade das vossas expressões. Tão fácil é-vos exprimires sinceramente, proferindo essas mensagem de apoio tocantes em corações moles, mas que não passam de inverdades porcas (...)
30.Mai.14

Lucidez

luisorriba
A noite está calma e clara. A lua cai sobre a terra e ilumina-a com um clarão aconchegante. Pelas ruas desertas apenas ouço os meus passos a misturarem-se com uma brisa que sopra na copa das árvores. Caminho sem destino e sem rumo certo, nem mesmo consigo seguir a minha intuição. Intuição? Que é isso? A caminhar pensativo, ou não, mas sem notar que a noite se transforma, a pensar, ou não, caminho. Sim, caminho e esqueço-me de tudo! Perco-me num horizonte, que nunca (...)